Textos publicados nos boletins informativos semanais

Para muitas pessoas a missão da maravilhosa vida de Jesus foi fornecer o melhor modelo de vida pelo qual podemos nos pautar. Embora Ele tenha mesmo deixado este modelo, o seu grande alvo não foi apenas nos dar boas ferramentas para que possamos melhorar. Ele disse que o mais importante é NASCER DE NOVO (João 3.3,7). Isso não aponta para uma melhoria, mas para uma completa transformação.

Alexis de Tocqueville diz que “as alegrias incompletas deste mundo nunca satisfarão o coração humano”. E por isso vemos tantas vezes se repetir, de diferentes formas, o desespero e vazio de não se encontrar o que se procura. E afirma que quando a nossa hiperatividade frenética encontra as crises naturais da vida, a melancolia e o desespero tendem a assumir o coração. A causa está no fato de tomarmos uma alegria incompleta e construir nossa vida inteira em torno dela. Essa é a definição exata de idolatria!

CENA 1: “Jonas... pregava, e dizia: Ainda 40 dias, e Nínive será subvertida”. A pregação de Jonas tem poucas palavras. Mas finalmente ele as pronunciou. Depois de tudo que tinha passado - o mar revolto sacudindo o barco como brinquedo, a agonia de se ver submergindo nesse mar, a inesperada experiência de ser engolido pelo peixe, de ser liberto da morte iminente e ser vomitado em terra firme – ele finalmente faz o que Deus mandou.

CENA 2: “Os ninivitas creram em Deus... e Deus se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria e não o fez”. A pregação foi bem sucedida. Foi ouvida pelo povo e seguida de conversão. Toda uma cidade foi poupada pelo perdão gracioso de Deus.

Por mais impressionante que seja a história do homem engolido por um peixe, enfatizar esse aspecto da narrativa é se desviar da mensagem do livro de Jonas, é perder o foco, é fechar os olhos para aquilo que Deus deseja nos comunicar, é ignorar o mais importante em favor do irrelevante.

A mensagem central do livro de Jonas é o amor de Deus pelos ímpios, a sua grande compaixão pelos perdidos, e como é triste quando aquele que conhece a Deus não compartilha do mesmo amor e objetivos que Ele.

Se por um lado, o livro de Jonas nos mostra o amor de Deus pelos perdidos, por outro lado ele nos revela a dureza de coração do povo de Deus. Em todo o livro, considerando-se todas as pessoas apresentadas, Jonas é o único que conhece a Deus. Além de ser israelita, membro do povo de Deus, ele é profeta. Mas, apesar de ser profeta e, teoricamente, tão espiritual, Jonas é relutante em obedecer a Deus. Daí, diante disso, o livro nos sugere a seguinte pergunta: “Se Jonas, que é profeta, reluta em obedecer a Deus; se Jonas, que é profeta, está com o coração tão duro e tão apartado da vontade de Deus, qual seria, então, a situação do povo do Senhor?”

Como cristão, vejo a vida
tal qual é: cheia de lida,
de tropeços, de ferida,
Por caminho sempre duro,
por vale estreito e inseguro,
sou envolvido no escuro
 abismo da provação.


Na verdade, não me iludo,
Pois bem sei que isso tudo
São fatores que não mudo,
que todos aqui sofremos.
E o cristão, por ser correto,
fica ainda mais afeto
a um combate direto,
que só pela fé vencemos.

Joomla templates by Joomlashine