Devocionais publicadas nos boletins informativos semanais

Já estamos nos preparando para o momento mais importante do ano no que diz respeito às comemorações cristãs: o período da Páscoa, quando celebramos os últimos momentos de Jesus entre nós, que abrangem sua prisão, morte, ressurreição e ascensão.

Por essa época é comum serem apresentadas mensagens sobre as 7 palavras de Cristo na cruz. Porém estas não foram, de forma alguma, as últimas palavras do Senhor. Ele ainda tinha muito a dizer aos seus seguidores depois da sua ressurreição. Aí, sim, estão situadas as suas últimas palavras antes de voltar para o Pai.

Maria Madalena foi a primeira pessoa com quem Jesus falou após ressuscitar (João 20.11-18). Ela era uma seguidora dedicada a Cristo, imensamente grata que era por ter sido libertada de demônios (Lucas 8.2). É ela que, indo à sepultura ainda escuro, com a intenção de diminuir sua dor dando alguma dignidade ao corpo maltratado de Jesus, a encontra aparentemente violada, e corre para avisar aos outros discípulos. Estes vêm, conferem o túmulo vazio, e voltam para casa. Maria permanece ali, chorando. Ela já estava sofrendo por ter visto o seu mestre e libertador ser brutalmente morto e enterrado às pressas. Agora, sofre mais um golpe: túmulo violado, corpo roubado.

Ao olhar para dentro da tumba vazia, vê dois anjos que lhe perguntam “porque choras?”. A sua resposta tem um tom amargo e triste: “porque levaram o corpo do meu Senhor, e não sei o que fizeram com ele”. E é nesse momento que Jesus se aproxima. Jesus encontra Maria em sua dor e acrescenta uma nova pergunta à fala dos anjos:

“A quem procuras?”

Embora a resposta possa parecer óbvia a nós – ela estava ali porque procurava por Ele -, a resposta mais profunda é que Maria procurava por um homem morto.

Vinte e um séculos depois as pessoas continuam procurando formas de calar suas dores e, de alguma forma, realizar ações que tragam algum sentido ao caos da vida. E Jesus ainda pergunta: “a quem você procura? Um amigo? Um orientador seguro para a vida? Alguém de absoluta confiança?”. Jesus é tudo isso, e muito mais. Mas não é entre os mortos que Ele se encontra.

A grande maravilha da história é que Maria não ficou nessa insegurança por muito tempo. Ela o procurou, mas foi Ele que a encontrou! Embora ela o procurasse, era ela quem estava perdida em sua aflição e sofrimento. A mensagem que o evangelho nos traz é “busque ao Senhor de coração, mesmo que sua alma esteja em frangalhos. Você o achará, porque é Ele quem vem ao seu encontro!”.

Rev. Alex Barbosa - Pastor Efetivo da IPB Grajaú

CC-BY-SA 2014 - Igreja Presbiteriana do Grajaú - Conteúdo publicado sob CREATIVE COMMONS